Blog

Exames periódicos de saúde

Oi meus amigos, espero que estejam curtindo os artigos e refletindo sobre as mensagens. Aproveito para fazer uma pergunta, qual foi a última vez que vocês, praticantes de exercícios físicos e modalidades esportivas realizaram exames de saúde?

A pergunta acima também serve para pessoas aposentadas, inativas ou da reserva, pois como brinco com a plateia nas minhas palestras, muitos depois que deixam de trabalhar não fazem mais exames, por pensarem de maneira errônea que essa necessidade servia somente para subsidiar a empresa sobre o seus estados de saúde enquanto funcionários, para promovê-los em cargos e funções e possibilitar-lhes viagens para realizarem cursos.

Não é muito difícil saber que alguns indivíduos quando “pararam” incorporaram a figura de Nero, o ex Imperador de Roma, acusado de incendiar aquela cidade no ano 64 d.C e queimaram todos os seus exames de saúde nos quintais de suas residências, destruindo seu histórico de avaliações ao longo de vários anos.

Os exames são fundamentais para verificarmos informações importantes como níveis de colesteróis, triglicérides, glicose sanguínea, pressão arterial e outros dados que nos possibilitem tomarmos cuidados básicos necessários. Por meio deles podemos constatar se estamos sujeitos ao desenvolvimento de síndrome metabólica, que pode desencadear resistência à insulina e doenças como Diabetes Mellitus do tipo II, Hipertensão Arterial, Aterosclerose e outras que nos levem a sofrer AVC ou Infarto Agudo do Miocárdio.

Cito aqui uma pesquisa muito importante realizada pelo Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia de tema “O que o Brasileiro Sabe sobre o Colesterol”, feita pelo Instituto Ipsos, em parceria com a multinacional farmacêutica Sanofi, a qual nos informa que 67% das pessoas não sabem informar quais são as suas taxas de colesteróis atuais1. Possivelmente, a população brasileira desconheça outras informações essenciais sobre o seu estado de saúde.

Pessoas que praticam esportes, também devem se informar sobre suas condições de saúde, sobretudo aquelas que treinam sem assessorias. Muitas não passam pelo médico antes de submeterem seus corpos a determinados esforços físicos sem saber se o organismo possui reais condições de suportá-los, ou o que é pior, obtém atestados sem fazer nenhum exame e os apresentam para profissionais iniciarem um programa de treinamento. Tais atitudes podem levar a várias consequências ruins, entre elas sérias lesões e até óbito.

Cuidados com o corpo deixam ele com aparência bonita, porém isso não deve ser visto somente como vaidade e objeto de ostentações nas redes sociais, nestes casos a durabilidade é curta. O ideal é manter os benefícios de forma permanente, com o devido acompanhamento dos profissionais competentes para realizar avaliações e dar orientações adequadas.

Recomendo para que façam um planejamento de vida saudável a longo prazo, incluindo nele cuidados essenciais para se exercitarem de forma segura e atingirem seus objetivos. Consultas com médicos cardiologistas e ortopedistas, nutricionistas e profissionais de Educação Física são muito importantes nesse processo, pois eles podem dar direcionamentos e informações valiosas. Mudar o estilo de vida é muito importante. Vamos começar?

 

1 Disponível em http://jornal.cardiol.br/2017/junho/edicao/files/assets/basic-html/page7.html. Acesso 28out2017.

Compartilhe este post

Comentários (3)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *